Conecte-se conosco

Notícias de Rondônia

Carga com 60 Mil Litros de Óleo Diesel é Roubada na BR-364

Uma carga de 60 mil litros de óleo diesel S500, avaliada em R$ 197 mil, foi roubada na tarde de quarta-feira (6), na BR-364, zona rural de Vilhena (RO). Um homem de 24 anos foi preso e denunciou a participação do motorista da carreta, de 34 anos. Ambos foram flagranteados e levados […]

Publicados

em

Uma carga de 60 mil litros de óleo diesel S500, avaliada em R$ 197 mil, foi roubada na tarde de quarta-feira (6), na BR-364, zona rural de Vilhena (RO). Um homem de 24 anos foi preso e denunciou a participação do motorista da carreta, de 34 anos. Ambos foram flagranteados e levados para a Casa de Detenção do município. O cavalo da carreta foi encontrado próximo da BR-174, a mais de 40 quilômetros da cidade. Já os dois reboques do veículo, que carregavam o combustível, ainda não foram localizados.

O caso começou quando o funcionário de uma transportadora de Vilhena procurou a Polícia Civil, na tarde de quarta-feira. Ele contou aos policiais que um conjunto rodotrem, que transportava 60 mil litros de óleo diesel, havia sido roubado. Além disso, o motorista estava desaparecido.

A Polícia Militar (PM) foi informada do crime e começou a fazer buscas pela região. Uma guarnição fez patrulhas na BR-174, que liga Vilhena a Juína (MT) e encontrou o cavalo da carreta dentro de uma mata, ao lado de uma plantação de milho.

Nesse período, a PM recebeu a informação de que o roubo poderia ter acontecido próximo da entrada da usina Rondon II, na BR-364, zona rural de Vilhena. Os policiais foram até o local e começaram a chamar pelo motorista, em uma região próxima da rodovia.

Os militares viram um homem saindo do mato e perguntaram se era ele o motorista da carreta roubada. Porém, ele apenas acenou para a polícia e voltou para dentro da mata. Os policiais foram atrás dele, mas não o encontraram.

Com isso, os policiais continuaram chamando pelo nome do condutor, quando outro homem saiu do mato, do outro lado da BR-364. Ele identificou-se como sendo o motorista da carreta roubada e disse que o homem que havia corrido vigiava ele.

Enquanto uma guarnição falava com o condutor, outras faziam buscas pela região, quando se depararam com um homem de 24 anos.

O jovem relatou que o caminhão que dirigia também havia sido roubado. Os dois homens foram levados para o quartel da PM, para explicarem os roubos.

Carga com 60 Mil Litros de Óleo Diesel é Roubada na BR-364

Versão do Motorista

O motorista, de 34 anos, narrou que deu carona para uma mulher no distrito de Riozinho, em Cacoal (RO) na terça-feira (5). A passageira seguiu com ele até um posto de gasolina, no distrito do Guaporé, em Chupinguaia (RO).

O condutor disse que dormiu no posto e que na manhã da quarta-feira (6), saiu do local com sentido a Vilhena. A mulher continuou seguindo viagem com ele. Na entrada da usina Rondon II, ele parou a carreta, pois acreditava que tinha passado em cima de algumas molas, que estavam na pista e iria verificar os pneus.

Nesse momento, ele teria sido abordado por homens armados, que anunciaram o assalto. Segundo o motorista, um dos criminosos tomou a direção da carreta e o outro ladrão o manteve refém na mata.

O motorista não soube informar o que aconteceu com a passageira durante o assalto. Ele ainda disse que foi mantido na mira de um revólver, em todo o tempo, sendo ameaçado de morte.

Versão do Outro Motorista

O suposto motorista, de 24 anos, contou aos militares que teve o caminhão roubado por volta das 10h da quarta-feira, no mesmo lugar onde o motorista, de 34 anos, havia sido roubado. Contudo, ele não soube informar a placa do caminhão que dirigia e nem quem era o empregador dele.

Ao chegar na delegacia de Polícia Civil de Vilhena, o jovem de 24 anos confessou que havia sido contratado para ser o motorista do roubo da carreta com combustível e que receberia R$ 2 mil pelo serviço. Ele disse ainda que a mulher que recebeu carona fazia parte da quadrilha.

O jovem ainda relatou que foi deixado para trás no momento em que a PM chegou no local.

Reviravolta

Os dois homens foram levados para a delegacia de Polícia Civil de Vilhena. Em interrogatório, o jovem de 24 anos revelou que mora em Várzea Grande (MT), onde recebeu a proposta de uma pessoa chamada Zé, para dirigir uma carreta com óleo diesel.

Segundo o suspeito, Zé disse que havia combinado o crime com um homem chamado Neguinho e uma mulher não identificada. Todos viriam à Rondônia para executar o roubo. Eles saíram de MT na terça-feira (5) em um carro de passeio, modelo Voyage, cor preta, com placa do Amazonas.

O grupo ficou hospedado em um hotel de Vilhena. O suspeito falou que viu quando a mulher ligou para o motorista da carreta e depois disse a eles que estava tudo certo. No dia seguinte, o grupo seguiu para Pimenta Bueno (RO).

No trajeto, a mulher apontou uma placa na BR-364 e disse que ali era o lugar determinado e que o motorista já estava sabendo. Em Pimenta Bueno o grupo ficou aguardando o caminhão com dois tanques de combustível chegar à cidade.

Quando o veículo chegou, a mulher entrou na carreta e depois de algum tempo enviou uma mensagem falando sobre o horário que deveria acontecer a abordagem.

Na hora marcada, eles foram até a placa na rodovia, e Zé e Neguinho abordaram o motorista. Ele permaneceu dentro do carro e não viu o condutor da carreta sofrer nenhuma violência.

O suspeito foi orientado a retornar para Pimenta Bueno, mas deveria voltar ao local horas depois para buscar Neguinho e o motorista. Ele cumpriu a determinação. Neguinho entrou no carro e logo atrás vinha o motorista.

Porém, Neguinho teria visto uma garrafa de água do outro lado da pista e pediu para que o suspeito de 24 anos fosse buscá-la. Nesse período, uma viatura da PM se aproximou. Com isso, o motorista da carreta voltou para o mato, Neguinho fugiu com o carro e o jovem ficou para trás.

O jovem ainda disse no depoimento que tem plena convicção de que o motorista da carreta ajudou a simular o roubo. Ele afirmou que não sabe para onde a carga de combustível foi levada e que não recebeu o valor acordado.

Já o motorista da carreta disse em interrogatório que trabalha há quatro meses na transportadora e que carregou o veículo em Porto Velho e deveria trazer a carga para Vilhena. Ele manteve a versão dada para a PM anteriormente, dizendo que deu a carona para uma desconhecida e foi abordado por dois homens armados.

O homem ainda reiterou que foi mantido refém dentro da mata e chegou a ser amarrado. Ele enfatizou que não tem envolvimento com o roubo da carga.

Ao final dos interrogatórios, os dois homens foram flagrados pelo crime de estelionato e levados para a Casa de Detenção de Vilhena. A Polícia Civil continua investigando o caso.

A transportadora informou que foi contratada por uma distribuidora de combustível de Vilhena para fazer o transporte do óleo diesel. Os vagões ainda não foram localizados.

Qualquer informação pode ser passada para a Polícia Civil, no telefone 197 ou para a PM, no 190.

G1 > Editado por Divulga RO