Conecte-se conosco

Notícias de Rondônia

Mulher é Suspeita de Matar o Marido com Facada no Pescoço

Uma mulher de 38 anos foi presa no último sábado (21), no distrito de Abunã, em Porto Velho, suspeita de matar o marido com uma facada no pescoço. O crime aconteceu na madrugada de sábado (21), mas a mulher e um suposto comparsa, de 23 anos, só foram apresentados […]

Publicados

em

Uma mulher de 38 anos foi presa no último sábado (21), no distrito de Abunã, em Porto Velho, suspeita de matar o marido com uma facada no pescoço. O crime aconteceu na madrugada de sábado (21), mas a mulher e um suposto comparsa, de 23 anos, só foram apresentados no início da noite na Central de Flagrantes.

Segundo registro de ocorrência, a vítima, que também tinha 23 anos, depois de morta teve o corpo arrastado pela mulher e pelo comparsa dela, sendo abandonado na margem de uma via, onde foi localizada minutos depois pela Polícia Militar.

O homicídio aconteceu em uma localidade conhecida como Vila da Penha, região central do distrito de Abunã. Dois homens e a esposa da vítima foram apresentados como suspeitos do crime, mas um rapaz, de 19 anos, alegou inocência e acabou liberado depois de ser ouvido pelo delegado plantonista.

Mulher é Suspeita de Matar o Marido com Facada no Pescoço

De acordo com a polícia, o casal e dois rapazes bebiam na varanda de uma casa quando crime aconteceu. Questionada sobre o caso, a mulher diz que saiu para comprar mais cerveja e que, ao retornar, o marido já não estava lá. Um dos rapazes, que é apontado como comparsa da suspeita, teria dito à mulher que a vítima havia ido embora depois de ser agredido por ele.

Alegando ter acreditado na versão do rapaz, a suspeita conta que saiu do local e retornou para a casa dela, onde ficou até amanhecer o dia. Ela negou qualquer envolvimento no crime.

Em depoimento à polícia, o suposto comparsa da mulher confirmou que estava no local do crime, mas acusou ela de ter matado o marido a golpes de faca. Ele conta que apenas ajudou a arrastar o corpo até o outro lado da rua.

O segundo suspeito, que foi liberado, também confirmou a presença dele no local, mas negou participação no homicídio. Ele conta que conversava com o primeiro suspeito, de costas para o casal, quando ouviu os espasmos da vítima. Ao olhar, percebeu que o homem estava com um corte na altura do pescoço. Depois do crime, o jovem correu e não teria presenciado o desenrolar da situação.

G1 > Editado por Divulga RO